sábado, 28 de fevereiro de 2015

[Resenha] Círculo Secreto: A Iniciação - L.J. Smith

Autora: L.J. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 256
Classificação: 4/5 estrelas (Favorito no Skoob)
Título Original: The Initiation - The Secret Circle

Nota: Essa resenha foi escrita em agosto de 2014 e contém spoilers sobre os personagens.

Resenha:

Qual é o seu poder?

Quem aí lembra e sente falta da série The Secret Circle? Já se passaram mais dois anos desde o cancelamento, mas eu ainda não superei e queria estar morto. Lembro que sofri rios, participei de todas as campanhas para tentar a renovação que, infelizmente, não rolou e a vida tem que seguir. Então resolvi apelar para os livros que eu já queria ler desde o lançamento da série.

Porém adiei - e muito - a leitura por já estar vendo a série e por medo dos livros serem como The Vampire Diaries e Diários do Vampiro - sem quase nenhuma ligação. E esse adiamento durou mais de dois anos, já que só li A Iniciação em agosto de 2014 (a série foi cancelada em Maio de 2012). Mas o que importa é que eu li. Pronto para entrar para o Clube?

Após descobrir que ela e a mãe terão que mudar para a casa da avó, a vida de Cassie vira de ponta-cabeça. Ela não gosta do lugar e ainda descobre que a escola é dominada por um Clube de adolescentes. Iniciada no Círculo Secreto, Cassie descobre que é uma bruxa e que seus ancestrais controlam New Salem há mais de 300 anos. E para piorar, ela descobre que o garoto que se apaixonou no verão é namorado de sua mais nova melhor amiga Diana. Agora, Cassie precisará decidir entre resistir à tentação ou usar seus poderes para conseguir o que quer - mesmo que isso coloque em risco àqueles a quem ama e até ela mesma.

Isso é um resumo básico do início do livro, mas já percebemos semelhanças - Diana e Cassie amigas; ela e Adam apaixonados e tentando resistir à tentação - e diferenças - o Círculo possui 12 adolescentes, enquanto na série são apenas 6 - entre ele e série. Depois de terminar A Iniciação, minha conclusão foi de que me apaixonei pelas duas mitologias, sabendo separar e aceitar muito bem as divergências entre as duas obras.

Muitos criticam as mudanças entre livros e adaptações, mas temos que ver que são duas mídias totalmente diferentes. Os livros de Lisa, por exemplo, foram publicados nos anos 90; enquanto a série só saiu do papel em 2011. São mais de 20 anos de diferença, obviamente algumas coisas que funcionam no livro não funcionariam mais nos dias atuais. Mesmo o livro chegando no Brasil só em 2012, fica perceptível que ele se passa há duas décadas atrás (um ano chega até mesmo a ser mencionado na história, mas não lembro qual).

Alguns plots se saem muito melhores aqui do que no seriado, como o namoro de Adam e Diana, e a amizade entre ela e Cassie. Nos primeiros episódios são coisas superficiais ou mal trabalhadas, mas aqui, ambos são bem desenvolvidos. Com isso, é aceitável e plausível a resistência de Cassie e Adam para não ficarem juntos e magoarem Diana.

Mas a série também ganha pontos sobre o livro, principalmente ao excluir seis integrantes do Círculo. Cassie, Diana, Faye, Adam, Nick, Suzan e Melanie são os mais desenvolvidos e foram justamente esses levados para a série (no seriado, Suzan e Melanie foram fundidas e viraram a Melissa), sendo assim, nem sentimos falta dos outros na série. Os produtores do show também acertaram ao criar o Jake, inexistente aqui.

Porém, ambas obras conseguiram acertar igualmente em Faye Chamberlain. A bitch é a mesma coisa em ambas obras, não tem como não imaginar Phoebe Tonkin falando nos livros ou lembrar das cenas da garota quando ver a série - dependendo de quais obras você tenha visto ou veja primeiro. De longe, a mais desenvolvida para a série, mesmo que nos livros, Faye seja mais malvada e manipuladora. E o que foi o cliffhanger provocado por ela? Sem dúvidas, estou louco pela continuação, intitulada A Prisioneira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário