quinta-feira, 19 de abril de 2018

[Resenha] Coroa da Meia-Noite - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Crown of Midnight
Compre: 
Amazon Brasil

Celaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça.

Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta, imerso em seus próprios dilemas e descobertas.

A princesa Nehemia acaba se tornando uma conselheira e confidente, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Celaena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor castelo de vidro estão cada vez mais próximas. Quando menos se espera, uma trágica noite mudará a vida de todos no reino, e mais do que nunca Celaena quer descobrir a verdade para fazer justiça.

Nota: Esse é o segundo livro da série e a resenha pode conter spoilers do livro anterior.

Resenha:

Antes ela era mortal. Agora, é implacável.


Gostei bastante de Trono de Vidro, então estava ansioso para continuar a série e ver o que o futuro reservaria para a mitologia da série e os personagens.

E começando por eles, todos continuam muito bem construídos! Não é segredo que Dorian é o meu favorito, então fiquei muito feliz com o plot próprio que ele ganhou; é o mais interessante desse volume e com certeza renderá nos próximos. Celaena também têm muito desenvolvimento e vemos bem mais da tão temida Assassina de Eldovier, já que no anterior, ela esteve mais contida e romântica, quase não fazendo jus ao título. Já Chaol ganhou novas camadas e descobrimos mais sobre seu passado, o que também foi positivo, pois até então as informações sobre ele eram quase escassas.

terça-feira, 17 de abril de 2018

[Resenha] Aura Negra - Richelle Mead

Autora: Richelle Mead
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 304
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Frostbite
Compre: Amazon Brasil

A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguinários Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação.

A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si.


Nota: Esse é o segundo livro da série e a resenha pode conter spoilers do livro anterior.

Resenha:

Dampirinha...

Gostei bastante de O Beijo das Sombras, por isso queria ler Aura Negra o mais rápido possível. E felizmente, ele conseguiu ser tão bom quanto o anterior. Welcome to St. Vladimir!

Os personagens continuam ótimos. Amo a Rose e sua maturidade, apesar de sua impulsividade, que ainda a prejudica muito. Mas basta comparar os dois primeiros livros: enquanto no anterior, ela era mais sarcástica e irônica, aqui a vemos mais contida nesse ponto, por conta do perigo que todos enfrentam com os Strigoi. Além disso, seu lado emocional também é trabalhado com o retorno de sua mãe; e entendo completamente sua mágoa para com ela. Ponto.

Dimitri continua ótimo e a química entre ele e Rose é incrível, nos fazendo torcer por eles em apenas uma troca de "Oi". Outro ponto positivo foi o maior destaque para os Ozera, pois a história dos pais de Christian é intrigante. Lissa, por outro lado, ficou de lado nesse volume, mas esse seu "esquecimento" serviu para realmente nos passar a sensação de o quanto ela e Rose estavam distantes. Temos ainda um maior destaque sobre Mason, que é um personagem regular - não irrita, mas também não é inesquecível. E por fim, mas não menos importante, temos Adrian, um novo personagem e que gostei bastante. Acredito que ele renderá bastante nos próximos volumes.

domingo, 15 de abril de 2018

[Resenha] Espada de Vidro - Victoria Aveyard

Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 496
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Glass Sword
Compre: Amazon Brasil

O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.

Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.


Nota: Esse é o segundo livro da série A Rainha Vermelha e a resenha pode conter spoilers do volume anterior.

Resenha:

Um novo sangue com poderes inimagináveis. A rebelião não será mais a  mesma.

A Rainha Vermelha foi uma grata surpresa e gostei bastante do mundo e personagens criados, por isso, quis ler as continuações o mais rápido possível, principalmente porque muitos diziam que a história crescia mais nesse segundo livro.

Começando pelos personagens, Mare me irritou muito nessa continuação - mais do que no anterior, onde foram poucos momentos. Seu egoísmo diante algumas situações e o modo que tratou os amigos me irritava a cada página, apesar de ela ser uma boa protagonista. Cal cresceu bastante - no primeiro, Maven foi bem mais explorado do que ele -, e seus momentos tentando fazer Mare mudar seu jeito egoísta foram muito bons. Os momentos onde ele e Mare sofrem pela traição que receberam de Maven são interessantes para a construção dos dois. Também foi positivo ver mais de Shade e Farley, que também são ótimos. E Maven, apesar de não estar tão presente, nos mostra o quanto é cruel e não poupará esforços para conseguir seus objetivos.

domingo, 1 de abril de 2018

[Resenha] Círculo Secreto - A Ruptura | L.J. Smith & Aubrey Clark

Autora: L. J. Smith (escrito por Aubrey Clark)
Editora: Galera Record
Páginas: 256
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: Secret Circle - The Divide
Compre: Amazon Brasil

Após a morte de Black John, Cassie e o restante do Círculo finalmente podem relaxar. Tudo parece ir bem: as Chaves estão em seu poder, Adam e Cassie são oficialmente namorados e o clima da cidade em geral é de recomeço.

Mas, enquanto todos comemoram o festival do equinócio de primavera, algo terrível acontece: sem nenhum motivo aparente, tia-avó Constance cai morta. E não parece ser uma morte normal. Agora, resta ao Círculo descobrir o que está colocando em risco a todos.

Resenha:

Onde está sua lealdade?

Após concluir a trilogia inicial de Círculo Secreto - A IniciaçãoA Prisioneira e O Poder - fiquei curioso mas receoso ao mesmo tempo, pois esses três novos livros não foram escritos por L.J. Smith, então os personagens e a história poderiam acabar seriamente modificados. Mas ainda assim decidi dar uma chance ao esse "recomeço" e felizmente não me arrependi!

Claro que é triste L.J. não poder continuar suas próprias séries - essa e Diários do Vampiro -, mas Aubrey Clark fez um excelente trabalho, mantendo o tom da história e personagens fiéis ao que L.J. já havia criado - além de trazer de volta dois membros peculiares que vimos no primeiro livro. Digo até que ela conseguiu dar mais "atitude" à eles: se antes, apenas Faye era a inconsequente e todos eram "calmos", nesse volume vemos que todos estão mais ativos a seguirem a própria vontade, o que os colocará em muitos atritos, afinal são doze pessoas bem diferentes.

sexta-feira, 30 de março de 2018

[Resenha] Crave a Marca - Veronica Roth

Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 480
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Carve The Mark
Compre: Amazon Brasil

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva.

Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Resenha:

Não há lugar para honra na sobrevivência.

Apesar dos problemas que apresenta, Divergente ainda é uma trilogia que eu gosto bastante; por isso, fiquei animado quando Veronica Roth anunciou que lançaria uma nova duologia. Infelizmente, a leitura de Crave a Marca não foi cento por cento positiva ou ótima como eu esperava.

Os personagens são o ponto positivo do livro, sem dúvidas. É fácil simpatizar e se ver torcendo por Akos e Cyra. Diferente de Tris, que era mais impulsiva, Cyra pensa bastante antes de agir, principalmente por seu maior "inimigo" ser seu irmão e todo o passado de culpa que a mesma carrega. É Akos que assume esse papel impulsivo, para proteger a família, e todo o drama que ele passa com o próprio irmão também é tocante. E Ryzek também foi um ótimo vilão, do tipo que queremos morto o mais rápido possível. Os demais personagens só aparecem após as primeiras partes da história, mas também acrescentam para a história, principalmente Isae.

quarta-feira, 28 de março de 2018

[Resenha] Garoto Encontra Garoto - David Levithan

Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Boy meets Boy
Compre: Amazon Brasil

Paul estuda em uma escola nada convencional. A rainha do baile é uma quarterback drag queen, líderes de torcida andam de moto e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. 

E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrareligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola e, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah.

Resenha:

“As vezes a distância entre saber o que fazer e realmente fazer é uma caminhada bem curta”

David Levithan é um autor que tenho boas experiências. Dos que li, gostei muito de Naomi & Ely e a Lista do Não-BeijoTodo Dia e Dois Garotos Se Beijando, sendo apenas Will & Will que me decepcionou; por isso, queria muito ler seus outros livros. Decidi, então, pegar Garoto Encontra Garoto por ser um livro curto, que era o que eu procurava no momento. Infelizmente, não foi uma boa experiência.

O maior de Garoto Encontra Garoto é que, como Will & Will, ele parece desnecessário após a conclusão da leitura, como se não acrescentasse em nada. O enredo é clichê - o que não é um problema, ainda mais nesse tipo de história - e superficial, com uma problemática que seria resolvida em uma conversa com os envolvidos e não com esse "grau de dificuldade" que David quis passar.

segunda-feira, 26 de março de 2018

[Resenha] Simon vs. a agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli

Autora: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Simon vs. the Homo Sapiens Agenda
Compre: Amazon Brasil

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois.

Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. 

Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

Resenha:

“Branco não devia ser o padrão, assim como hétero não devia ser o padrão. Não devia existir nenhum padrão.”

Sempre tive muita vontade de ler Simon vs. a agenda Homo Sapiens, principalmente em vista dos inúmeros elogios que ouvia da história. Com a aproximação do lançamento do filme, que possui vários atores que gosto, decidi que havia chegado a hora de adiar a leitura, então o adquiri para começá-la.

Gostei bastante dos personagens, principalmente de Simon e Leah. Becky os criou de uma forma real, com características, medos e gostos que nós podemos ter, por isso a aproximação é imediata; e nos faz torcer por Simon diante de todo o drama de se assumir ou não para os familiares e amigos, além do risco de ter sua intimidade com Blue exposta. Infelizmente, não me apeguei tanto ao romance dele e Blue, pois tive a impressão de que Simon gostava mais de Blue do que ele dele - mesmo que isso não seja realmente verdade -, mas acabei torcendo para que tudo desse certo justamente por essa aproximação que Becky cria. Fiquei triste por Leah não ter tanto destaque, pois gostei dela - e fiquei muito feliz ao saber que ela também ganhará um livro solo.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

[Resenha] Trono de Vidro - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 392
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Throne of Glass
Compre: Amazon Brasil

Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. 

Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

Resenha:

Conheça a assassina.

Sempre escutei comentários positivos sobre Trono de Vidro e Corte de Espinhos e Rosas, ambas séries de Sarah J. Maas, por isso sempre tive curiosidade sobre as duas, principalmente a primeira. Resolvi, então, começar por ela, já que consegui o primeiro por um ótimo preço e agora vejo porque a trama é tão amada.

Sarah fez um ótimo trabalho criando os personagens, pois gostei de todos, principalmente Celaena e Dorian. A protagonista é forte e decidida, sempre lutando pelo que quer; além de conseguir manter a calma e racionalizar, diferente de outras que iriam pelo instinto, destruindo seus objetivos. Já Dorian me lembrou um pouco personagens de séries do gênero, como Maxon de A Seleção, mas ainda assim possui suas particularidades e é original. Apesar de parecer um pouco rápida, gostei de sua interação com Celaena e torço muito pelos dois.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

[Lista] Séries que li e foram descontinuadas no Brasil


Infelizmente, é comum as editoras desistirem de continuar a publicar livros de uma série no Brasil. Quase nunca sabemos o real motivo para a desistência, mas quase sempre é por conta das baixas vendas dos já publicados, o que "não justificaria" investir adquirindo os seguintes.

E como elas também quase nunca informam se houve realmente uma desistência da série, muitos ainda podem a ser publicados futuramente, mas é pouco provável, devido ao tempo passado desde o último lançamento. Agora, sem mais delongas, vamos ao livros - que foram todos já resenhados no blog, então basta clicar nos links:

1. Gone - Michael Grant:

A Galera Record confirmou oficialmente em um comentário no Instagram que não publicaria o sexto - e seguintes - livro da série. Fiquei muito triste, pois adorei o primeiro livro; por isso, espero que alguma editora resolva resgatar a série.

2. Tocando as Estrelas - Rebecca Serle:

A trilogia só teve o primeiro publicado aqui, o qual eu adorei! Achei que com o lançamento da série de TV, a Novo Conceito apressaria o lançamento do segundo - o terceiro ainda não foi lançado nos EUA também -, mas até agora nada. Talvez seja a com mais chances de continuação dessa lista, já que o mesmo aconteceu com a trilogia Olho Por Olho e, no fim, a editora a finalizou.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

[Resenha] Precisamos Falar Sobre o Kevin - Lionel Shriver

Autora: Lionel Shriver
Editora: Intrínseca
Páginas: 464
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: We Need Talk About Kevin
Compre: Amazon Brasil

Aos 15 anos, Kevin mata 11 pessoas. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

Transposto o primeiro estágio da perplexidade, um ano e oito meses depois, ela dá início a uma correspondência com o marido, único interlocutor capaz de entender a tragédia, apesar de ausente. Cada carta é uma ode e uma desconstrução do amor. Não sobra uma só emoção inaudita no relato da mulher de ascendência armênia, até então uma bem-sucedida autora de guias de viagem.

Cada interstício do histórico familiar é flagrado: o casal se apaixona; ele quer filhos, ela não. Kevin é um menino entediado e cruel empenhado em aterrorizar babás e vizinhos. Eva tenta cumprir mecanicamente os ritos maternos, até que nasce uma filha realmente querida. A essa altura, as relações familiares já estão viciadas. Contudo, é à mãe que resta a tarefa de visitar o "sociopata inatingível" que ela gerou, numa casa de correção para menores. Orgulhoso da fama de bandido notório, ele não a recebe bem de início, mas ela insiste nos encontros quinzenais. Por meio de Eva, Lionel Shriver quebra o silêncio que costuma se impor após esse tipo de drama e expõe o indizível sobre as frágeis nuances das relações entre pais e filhos num romance irretocável.

Resenha:

"Quando a gente monta um show, não atira na plateia."

Precisamos Falar Sobre o Kevin sempre foi uma história que me chamou atenção, pela premissa de um massacre escolar. Isso era o máximo que eu sabia sobre ele, por isso, ao iniciar a leitura, não imaginava o que me aguardava.

Algo que é unânime em qualquer opinião sobre o livro é que é uma leitura arrastada! A forma de narração causa estranheza inicialmente e muitas vezes parece não levar à nenhum lugar, sendo apenas páginas e páginas sem sentido. Junto à isso, temos o fato da história não possuir nenhum alívio cômico, é uma leitura densa e dramática do início ao fim. Porém, tudo se encaixa no final, nos mostrando que nenhum momento foi inserido sem necessidade. E que final! Totalmente inesperado e chocante.